Analytics

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Uma campanha para abraçar

Estive ontem numa reunião com alguns profissionais do livro para ouvir as propostas do Galeno Amorim que postula uma vaga na Assembleia Legislativa de São Paulo. O Galeno dispensa apresentações para quem vive no e do livro, como nós. Além de encontrar alguns amigos do mercado editorial, encontrei neste bate papo autores, bibliotecárias e outros profissionais que tem na promoção da leitura uma bandeira de vida.
Apesar de conhecer o Galeno há alguns anos fiquei muito satisfeito de ouvi-lo dizer da sua motivação em continuar buscando ações que incluam o apoio a leitura como uma política pública, além das ideologias e partidos.
Ao ouvir das bibliotecárias presentes os problemas encontradas na esfera municipal e estadual para a condução de politicas de apoio às bibliotecas, pude ser colocado de novo frente à realidade assustadora de como práticas básicas de disseminação de cultura e educação sejam ainda tão neglicenciadas e tratadas com tanto descaso nas diferentes esferas de governo.
Ter alguém que enfrente esta indiferença, ou melhor dizendo, este descaso com algo importante como a construção das bases que sustentam a cultura de um povo, pode sim fazer a diferença entre sermos o pais que queremos ser ou apenas a promessa nunca realizada de grande nação.
Gostaria de encontrar em outros estados candidatos verdadeiramente comprometidos com a construção de uma nação de leitores e usar deste espaço para que pudéssemos esmiuçar suas propostas e chegarmos no dia 03 de Outubro com uma perspectiva de um futuro melhor para o mundo das letras.
Por hora posso sugerir que visite o blog do Galeno e leiam o que ele tem pra falar.

Um comentário:

ovendedordelivros.com.br disse...

Olá Gerson!

Em primeiro lugar parabéns pelo artigo, penso igual a você.

Tive a constatação, há duas semanas, de que a educação no Brasil, e consequentemente projetos relacionados a incentivar os brasileiros a lerem, ficam sempre em segundo plano (para não dizer em último).
Tive a ideia de montar aqui no meu bairro (que é muito carente) um espaço para leitura com empréstimos de livros. Fui procurar o vereador da região para ver se ele poderia me dar uma força e disponibilizar um verba para tal projeto. A resposta dele foi não (como eu já imaginava). Disse-me que verbas para este tipo de projetos dificilmente eram liberadas, pois a prefeitura tinha outras prioridades.
O interpelei durante um tempo, mas resolvi parar, não chegaríamos a um acordo nunca.
A lição que tirei disso, é que o poder público está "pouco se lixando" se o brasileiro lê ou não lê, o que eles querem é que esta realidade não mude nunca, pois pessoas incautas e sem conteúdo, são mais fáceis de manipular e de se tornarem massa de manobra!

Parabéns pelo blog, o visitarei com mais frequência à partir de agora.

Um abraço, Wellington Ferreira, O Vendedor de Livros