Analytics

terça-feira, 30 de março de 2010

Quanto vendem estas novidades?

Uma informação clara sobre números de vendas ninguém dá. Nem Jeff Bezzos da Amazon revelou em suas apresentações do Kindle pelo mundo afora, nem a simpaticíssima Patrícia Arancibia da Barnes & Noble expos resultados de vendas do Nook durante sua palestra de hoje, nem muito menos nosso amigo Calvin Baker quis entrar neste mérito. Todos são unânimes em apresentar percentuais de crescimentos exponenciais de vendas, tanto dos devices quanto dos downloads pagos, mas não nos dão nenhuma pista de quão lucrativo (ou não) são estas experiências até hoje. Um fato é claro, vender livros digitais a US$ 9,99 não é bom pra ninguém da cadeia, talvez apenas para a Amazon que está mais interessada em vender o hardware, mas aí são outros quinhentos..., ou melhor, US$ 500,00 para ser mais preciso. Por enquanto são verdinhas demais não acha?

2 comentários:

Vania Lacerda disse...

Olá, Gerson.
Legal voce estar nos municiando de informações sobre o Congresso. Obrigada...
Quanto às vendas dos e-books: ainda não devem ser um estrondo, mas inevitavelmente serão, e em pouco tempo. Acho que temos que nos preparar para ter uma demanda beeem menor para o livro fisico. Usando o paralelo da música: sim, ainda há quem compre CD e até vinil. Mas que o mercado para esses suportes reduziu, isso não há como negar.

Fabio_Atlas disse...

Caro Gerson,

Acredito que seja um novo caminho. Mais uma forma de consumir conteúdo. Como você bem disse no post anterior - "..que o livro não seja apenas digitalizado..." o pessoal do Vook (http://vook.com/) mescla conteúdos (textos, vídeos e som) trazendo uma nova experiência. Vamos acompanhar...