Analytics

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

O inferno das transportadoras

Muito se tem falado sobre os gargalos logísticos no Brasil, insuficiência de aeroportos, as docas dos portos abarrotadas, malha ferroviária desmantelada entre outras coisas, coisas públicas em geral. Mas está tornando um pesadelo lidar com as empresas privadas que poderiam muito bem cuidar destes assuntos de forma mais eficiente, transportadoras que levam nossos caixas de livros Brasil afora. Extravio de caixas, coletas atrasadas atendimentos feito com grosserias, desrespeito por clientes parceiros de muitos anos são os problemas mais frequentes que encontramos.

Parece que o crescimento dos negócios no Brasil como um todo, geraram uma expansão de atividades nas transportadoras rodoviárias de tal forma que nem seus sistemas, nem seus Centros de Distribuição estavam minimamente preparados para esta ampliação de negócios, mas até isso seria mais fácil de lidar se quando nos defrontássemos com problemas encontrássemos no SAC destas empresas, pessoas educadas preocupadas em resolver o problema de seus clientes. Mas não, o que encontramos é truculência e falta de respeito. A mercadoria enviada para um cliente na Bahia vai parar ninguém sabe aonde e ainda temos que implorar para que alguém nos de alguma atenção.

Nestes problemas não escapam nem as grandes nem as pequenas transportadoras. Infelizmente o mercado editorial sozinho não tem volume para desenvolver uma empresa segmentada de entregas para todo o Brasil, mas para a grande São Paulo e Grande Rio já dava pra desenhar alguma coisa. E com um mercado onde a industria se concentra essencialmente em Rio e São Paulo, a questão das remessas de livros para outras regiões se torna vital para sobrevivência do livreiro destas praças , e estes não tem alternativa, tem que contar com serviços cada dia mais irregulares.

Será que dá pra sonhar com um transporte ferroviario que torne esta operação mais barata, dando mais rentabilidade para este negócio? Bem, aproveite que estamos às vesperas de uma eleição e procure entender o que o seu candidato tem a dizer sobre estes assuntos para decidir para quem votar, afinal de contas um dia temos que mudar.

Um comentário:

G. G. Goi disse...

Prezado Gerson. Voce tem razão nessa crítica as transportadoras. É bem difícil mesmo. Após muito tempo (pelo menso 10 anos) consegui achar alguma forma de melhorar minha logística, o que requeriu um pouco de trabalho, pois as vezes temos que fazer parte do serviço.Se for conveniente posso te falar a estratégia.
Em termos de Brasil, comparativamente, como um livro pode vir dos EUA em 4 dias até a porta do cliente e um livro pedido a um distribuidor em SP de uma editora de São Paulo, não consegue chegar em uma livraria em SP na mesma semana. Talvez como resposta esteja a sua colocação de que há espaço para uma empresa especializada nessa logística segmentada, que ao atender só a esse ramo consiga ter fluxo/escala, para azeitar essa máquina sem onerar em demasia.
Quanto à falta de bom atendimento acho que o caso é mais grave ainda, pois não é exclusivo do nosso ramo, e acredito que seja fruto de uma péssima formação escolar mesmo, pois às vezes não é só má vontade, falta de estrutura e de pessoal e sim burrice mesmo, falta inteligência, senso crítico, bom senso e criatividade.
Sempre soube que não estava sozinho. Não é sadismo, mas de interessante saber que os Grandes também sofrem. Um forte Abraço

Güido